O que é Paralisia das Cordas Vocais?

A paralisia das cordas vocais é a incapacidade de mover os músculos que controlam as cordas vocais. Pode ser causada por doenças cerebrais, como tumores no cérebro, acidentes vasculares cerebrais e doenças desmielinizantes  ou lesões nos nervos que chegam à laringe. A lesão nervosa pode ser causada por tumores, lesões, uma infecção viral dos nervos ou neurotoxinas (substâncias que envenenam ou destroem o tecido nervoso), como o chumbo ou as toxinas produzidas na difteria.
 

Sintomas e diagnóstico

 
A paralisia das cordas vocais pode afectar a fala, a respiração e a deglutição. Esta doença provoca a passagem dos alimentos sólidos e dos líquidos para a traqueia e para os pulmões. Se ficou paralisada apenas uma corda vocal (paralisia unilateral), a voz é rouca e entrecortada. Em geral, a via respiratória não fica obstruída porque a corda normal que se encontra do outro lado abre-se o suficiente. Quando ambas as cordas vocais ficam paralisadas (paralisia bilateral), a voz reduz-se em força, mas continua a soar normal. No entanto, o espaço entre as cordas paralisadas é muito pequeno e a via respiratória fica obstruída, pelo que até um exercício moderado provoca dificuldades respiratórias e um som rouco e agudo em cada respiração.
 
 
O médico tenta descobrir a causa da paralisia. Uma possibilidade consiste em fazer uma endoscopia (exame directo do interior de um órgão com um tubo de visualização) da laringe, dos canais brônquicos ou do esófago. É possível que seja necessário fazer uma tomografia axial computadorizada (TAC) da cabeça, do pescoço, do tórax e da glândula tiróide, além de uma radiografia de esófago.

Tratamento

 
Nos casos de paralisia unilateral, injectar teflon na corda paralisada aproxima-a da linha média, pelo que a outra corda pode entrar em contacto com ela e, como consequência, ambas protegem o canal respiratório durante a deglutição e melhoram a fala. Na paralisia bilateral, torna-se difícil manter a via respiratória adequadamente aberta. Pode ser necessário fazer uma traqueostomia (uma cirurgia que cria uma abertura na traqueia através do pescoço), com o fim de permitir que o ar entre nos pulmões sem passar pelas cordas vocais. O orifício feito pela traqueostomia pode ficar permanentemente aberto ou então ser utilizado só durante as infecções das vias respiratórias superiores. A aritenoidectomia (uma operação em que as cordas vocais ficam permanentemente separadas) amplia a via respiratória, mas também pode piorar a qualidade da voz.
 
 
 
FONTE: Maualmerck

30/11/10, 12h33

© 2014 HOSPITAL FLÁVIO SANTOS. Todos os direitos reservados

Unidade 24h: Rua 1º de Maio, 138/Sul
Unidade II: Rua Félix Pachêco, 2221/Sul
Unidade Jockey: Av. Lindolfo Monteiro, 699/Leste
Fone: 86 3221-5654
Email: atendimento@hospitalflaviosantos.com.br
Facebook: http://facebook.com/hospitalflaviosantos


Site by Masávio